Translate

Embraer inicia montagem do primeiro E190-E2


Dois anos após o lançamento do programa, na feira de Le Bourget, em Paris, o primeiro dos E-Jets E2, um E190-E2, começa a ser montado na fábrica  da Empresa em São José dos Campos A Embraer já recebeu os primeiros sub-conjuntos de fornecedores de vários países e a montagem do primeiro protótipo segue conforme planejado.

“É emocionante ver o E2 tomando forma com a grande quantidade de sub-conjuntos que chegam às nossas instalações em São José dos Campos, onde a montagem final começará nos próximos meses”, diz Luís Carlos Affonso, Vice-Presidente de Operações e COO da Embraer Aviação Comercial. 

Na planta da Embraer na cidade de Évora, em Portugal, os primeiros sub-conjuntos para as asas e a fuselagem central já estão prontos. Na Espanha, a Aernnova AEROSPACE S.A. termina a montagem da empenagem vertical - a empresa fornecerá também a empenagem horizontal. Na República Tcheca, a Latecoere finalizou as portas dos bagageiros, já enviadas ao Brasil, para instalação na aeronave. 



Nos Estados Unidos, a Triumph Aerostructures, também responsável pelo leme e o profundor, está montando as seções da central três e traseira da fuselagem – estes são os únicos grandes segmentos que não será fabricados pela Embraer.

No Brasil, na planta em Botucatu, a Embraer já produziu uma série de componentes para as asas, fuselagem central um e dois, além dos revestimentos da fuselagem dianteira – segmento que está em fase de montagem final em São José dos Campos. Todas estas estruturas terão um alto nível de automação nos estágios de fabricação. 

Selecionada para fornecer os trens de pouso da segunda geração de E-Jets, a Eleb, subsidiária integral da Embraer com 35 anos de experiência em projeto e manufatura de trens de pouso, finaliza os primeiros exemplares.

A frente de ensaios também segue acelerada. Na Unidade de Eugênio de Melo, as diferentes plataformas estáticas de testes (ou rigs, no termo em inglês) estão funcionado e permitindo à Embraer desenvolver sistemas como o fly-by-wire, cujas leis e códigos estão sendo desenvolvidos pela própria Empresa e o funcionamento integrado com outras estruturas da aeronave.

A primeira entrega de um E-Jet E2 (o E190-E2) está prevista para o primeiro semestre de 2018. O E195-E2 está programado para entrar em serviço em 2019 e o E175-E2, em 2020. O programa E-Jets E2 reforça o comprometimento da Embraer em investir continuamente na linha de jatos comerciais da Empresa e manter sua liderança de mercado no segmento de 70 a 130 assentos. Os E-Jets E2 da Embraer terão motores de última geração de alto desempenho da Pratt & Whitney PurePowerTM Geared Turbofan (PW1700G no E175-E2 e PW1900G no E190-E2 e E195-E2) que, em conjunto com novas asas aerodinamicamente avançadas, controles de voo totalmente fly-by-wire e avanços em outros sistemas, resultarão em melhorias significativas no consumo de combustível, custos de manutenção, emissões e ruído externo.

A Embraer é líder mundial na fabricação de jatos comerciais de até 130 assentos. Cerca de 900 aviões da família ERJ 145 de jatos regionais, de 37, 44 e 50 assentos, foram entregues a companhias aéreas desde sua introdução no mercado, em 1996. A família de E-Jets inclui quatro aeronaves que têm entre 70 e 130 assentos. Com engenharia avançada, alto grau de eficiência, cabines ergonômicas e espaçosas com dois assentos por fileira, além de atraente economia operacional, o E170, o E175, o E190 e o E195 estabeleceram um novo padrão na categoria. Desde que os E-Jets entraram em serviço, em 2004, a Embraer recebeu mais de 1.500 pedidos firmes para esta família de aeronaves e mais de 1.100 E-Jets já foram entregues. 

Em 2013, a Embraer lançou a segunda geração da sua família de aeronaves comerciais, os E-Jets E-2, consistindo de três novos aviões – E175-E2, E190-E2, e E195-E2 – no segmento de 70 a 130 assentos. O E190-E2 está programado para entrar em serviço no primeiro semestre de 2018, seguido pelo E195-E2 em 2019 e o E175-E2 em 2020.

Estamos no Instagram e Tumblr, siga-nos:

Comente com o Facebook: