Translate

Demanda de carga aérea encerrou 2018 com alta de 3,5%, apesar da desaceleração no fim do ano


Demanda de carga aérea encerrou 2018 com alta de 3,5%, apesar da desaceleração no fim do ano

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA - International Air Transport Association) divulgou os dados gerais de 2018 sobre os mercados globais de carga aérea, mostrando que a demanda, medida em quilômetros por toneladas de carga (FTKs), aumentou 3,5% em relação ao ano de 2017. Esse crescimento ficou muito abaixo do crescimento extraordinário de 9,7% registrado em 2017.


A capacidade de transporte de carga, medida em quilômetros por toneladas de carga disponíveis (AFTKs), aumentou 5,4% em 2018, superando o crescimento anual da demanda e forçando para baixo o fator de carga. Porém, os resultados mostraram-se resilientes.

O desempenho do transporte aéreo de carga fechou 2018 com desaceleração da demanda em dezembro. Na comparação com o ano anterior, a demanda de dezembro diminuiu 0,5%. Este foi o pior desempenho desde março de 2016. No entanto, a capacidade de transporte de carga cresceu 3,8%. Este foi o décimo mês consecutivo que o crescimento da capacidade em comparação com o ano anterior superou o crescimento da demanda.

O crescimento do comércio eletrônico internacional em 2018 foi um fator positivo. Porém, houve uma desaceleração de vários fatores principais da demanda:

  • O ciclo de reabastecimento, durante o qual as empresas fizeram estoques para atender à demanda, encerrado no início de 2018;
  • Atividade econômica global enfraquecida;
  • Os pedidos de exportação de todas as principais nações exportadoras, com exceção dos Estados Unidos, diminuíram no segundo semestre de 2018;
  • Queda na confiança do consumidor em relação aos níveis muito altos observados no início de 2018.

"A demanda do transporte aéreo de carga perdeu força no final de 2018 com o enfraquecimento do comércio global, a queda na confiança do consumidor e os cenários geopolíticos desfavoráveis. Ainda assim, a demanda cresceu 3,5% em relação a 2017. Estamos otimistas de que a demanda crescerá em torno de 3,7% em 2019. Mas, com as persistentes tensões comerciais e ações protecionistas de alguns governos, o risco de queda é significativo. É fundamental manter as fronteiras abertas para as pessoas e o comércio", disse Alexandre de Juniac, diretor geral e CEO da IATA.

"Para atrair a demanda em novos segmentos de mercado, o setor de transporte aéreo de carga deve melhorar sua proposta de valor. A adoção dos processos modernos de digitalização ajudará a fortalecer o comércio eletrônico e o transporte de produtos sensíveis ao tempo e à temperatura, como os produtos farmacêuticos e perecíveis", disse Alexandre de Juniac.

Demanda de carga aérea encerrou 2018 com alta de 3,5%, apesar da desaceleração no fim do ano


Desempenho por região


As companhias de transporte aéreo de carga de todas as regiões apresentaram aumento da demanda anual de 2018, exceto a África.

As companhias aéreas da região Ásia-Pacífico apresentaram o crescimento mais fraco entre todas as regiões em dezembro de 2018, com queda na demanda de 4,5% na comparação com o mesmo período do ano anterior. A capacidade aumentou 2,6%. O desempenho mais fraco em dezembro ajudou a manter o crescimento da demanda de carga aérea em apenas 1,7% em 2018 em comparação a 2017. A capacidade anual aumentou 5,0%. O desempenho mais fraco das companhias de transporte aéreo de carga da região Ásia-Pacífico em 2018 reflete, em grande medida, a desaceleração na demanda de exportações dos principais exportadores da região (China, Japão e Coréia). Sinais de moderação na atividade econômica na China e aumento das tensões comerciais continuam representando um risco de queda para o transporte aéreo de carga na região Ásia-Pacífico.

As companhias aéreas da América do Norte registraram o maior crescimento entre as regiões pelo sétimo mês consecutivo em dezembro de 2018, com aumento na demanda de 2,9% em relação ao mesmo período do ano anterior. A capacidade aumentou 4,5%, contribuindo para o crescimento anual de 6,8% da demanda em 2018, similar ao aumento de capacidade. A força da economia dos Estados Unidos e o consumo da região elevaram a demanda por carga aérea no último ano, beneficiando as companhias aéreas norte-americanas.

As companhias aéreas da Europa registraram aumento de 1,9% na demanda por carga aérea em dezembro de 2018 e aumento de capacidade de 3,7% em relação ao mesmo período do ano passado. O melhor desempenho em dezembro contribuiu para o crescimento anual de 3,2% da demanda por carga aérea em 2018. A capacidade aumentou 4,3% nesse período. O enfraquecimento das condições de manufatura para os exportadores, particularmente na Alemanha, um dos principais mercados de exportação da Europa, além dos indicadores econômicos mistos, afetaram negativamente a demanda em 2018.

Os volumes de carga das companhias de transporte aéreo de carga do Oriente Médio aumentaram 0,1% em dezembro e a capacidade aumentou 4,5% em relação ao mesmo período do ano passado. Isso contribuiu para o aumento anual na demanda de 3,9% em 2018 – a terceira maior taxa de crescimento entre todas as regiões. A capacidade anual aumentou 6,2%. O impacto de questões geopolíticas continua na região.

As companhias de transporte aéreo de carga da América Latina registraram queda de 0,1% na demanda em dezembro em relação ao ano passado, após três meses de crescimento positivo. A capacidade aumentou 6,0%. Apesar da queda na demanda, é importante notar que o mercado dentro da América do Sul continua forte, com a demanda internacional crescendo quase 20% na comparação ano a ano. O crescimento anual da demanda por carga aérea entre as companhias de transporte aéreo de carga da América Latina em 2018 foi de 5,8% – a segunda maior taxa entre todas as regiões. A capacidade anual aumentou 3,4% em 2018.

A demanda por carga aérea das transportadoras da África caiu 2,2% em dezembro de 2018 em relação ao mesmo período de 2017. Esta taxa de queda é bem menor do que a queda de 9,4% registrada no mês anterior. A capacidade aumentou 4,9% na comparação ano a ano. É importante notar que os volumes de carga aérea internacional com ajuste sazonal, apesar de estarem 7,7% menores que o pico registrado em meados de 2017, ainda estão 50% acima da queda observada no final de 2015. O crescimento anual da demanda por carga aérea entre as companhias aéreas da África em 2018 diminuiu 1,3% e a capacidade cresceu 1%.

Todas as informações contidas neste artigo são da Assessoria de Imprensa.



Comente com o Facebook:

2018 © É MAIS QUE VOAR

Mais Lidas da Semana

Seleção TAM: perguntas da entrevista individual (PARTE 2 de 2)

Azul 10 Anos – Veja Fotos | by É MAIS QUE VOAR

Porque você quer ser comissário?

Exemplo de Speech