Pular para o conteúdo principal

Aviação Regional chegará em Lucas do Rio Verde e Nova Mutum, o setor prevê crescimento de 50% em 2020


Aviação Regional chegará em Lucas do Rio Verde e Nova Mutum, o setor prevê crescimento de 50% em 2020 | Foto © Herbert Monfre | Por É MAIS QUE VOAR

Nos últimos anos, a empresa intensificou suas atividades na região mato-grossense para atender a crescente procura dos passageiros do agronegócio, que aumentou 79% entre 2018 e 2019.



A aviação regional está em plena expansão e um dos principais fatores para esse cenário positivo é o apoio da ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil), do Governo Federal e de alguns estados, por meio de incentivos como isenção de impostos e redução da alíquota do ICMS sobre os combustíveis. Essas e outras medidas devem possibilitar um crescimento significativo do transporte aéreo em regiões remotas, onde a estrutura e a logística são muito específicas.

Atuando no segmento sub-regional com foco no agronegócio, em Mato Grosso, desde 1995, a Asta Linhas Aéreas tem boas perspectivas para este ano e prevê um incremento em torno de 50% nos negócios. A empresa fechou 2019 com um faturamento de R$ 14,5 milhões e a projeção é encerrar 2020 com uma receita de R$ 22 milhões. “Para atingir essa meta, nosso plano de expansão prevê a inclusão de novas rotas e a aquisição de mais quatro aeronaves, ainda este ano. Hoje, temos três aviões Cessna Grand Caravan, que é um monomotor de 9 lugares, mas nossa estimativa é adquirir mais duas unidades desse modelo e dois Twin Otter, com 19 lugares”, afirma Adalberto Bogsan, CEO da Asta.

Nos últimos anos, a empresa intensificou suas atividades na região mato-grossense para atender a crescente procura dos passageiros do agronegócio, que aumentou 79% entre 2018 e 2019. Em janeiro, iniciou suas operações em Nova Mutum e se prepara para começar os voos em Lucas do Rio Verde, no dia 9 de março, e Sinop, ainda neste primeiro trimestre. Com a inclusão da nova linha, a Asta passa a operar 70 voos regulares por semana, atendendo 11 cidades mato-grossenses: Água Boa, Aripuanã, Canarana, Cuiabá, Juara, Juína, Nova Mutum, Pontes e Lacerda, Primavera do Leste e Tangará da Serra, além de Lucas do Rio Verde.

Expansão nacional


Em agosto do ano passado, a Asta assinou uma parceria com a Azul, para integrar os voos que opera dentro do Estado de Mato Grosso à malha aérea nacional e internacional, com conexões em Cuiabá. Em outubro, firmou um acordo de intenção de operação com o Governo de Minas Gerais, para 2020. A companhia também planeja a extensão das linhas de Mato Grosso para Tocantins e Goiás.

De acordo com Bogsan, a projeção da companhia para os próximos 10 anos é passar das três aeronaves atuais para uma frota de 26 aviões. “A aviação sub-regional é um segmento com grande potencial de crescimento, e estamos investindo para ampliar nossa malha aérea dentro desse nicho de mercado. Nosso foco é expandir o atendimento em pequenas cidades, onde aviões de maior porte não podem operar devido ao tipo de pistas disponíveis, de 1.000 a 1.600 metros, com restrição de piso e infraestrutura aeroportuária. Com incentivos da ANAC e do governo, a expectativa é alavancar esse segmento nos próximos cinco anos”, comenta o executivo da Asta.

Em 2019, É MAIS QUE VOAR realizou uma rápida entrevista com Adalberto Bogsan, CEO da Asta. Para acessar, clique aqui.

Não compactuamos com a Fakenews. Todas as informações nesta publicação são fontes oficiais por parte da assessoria de imprensa dos envolvidos.

Comentários

Mais Lidas

Chega ao Brasil primeiro lote de kits de teste rápido para novo Coronavírus

Nova versão do Embraer Phenom 300E recebe certificação tripla da ANAC, EASA e FAA

Entrevista com aeromoça brasileira da Emirates







2019 © É MAIS QUE VOAR
Ads