Pular para o conteúdo principal

Ministério da Infraestrutura envia balsa com insumos para reconstruir Aeroporto de Coari, na Amazônia

Ministério da Infraestrutura envia balsa com insumos para reconstruir Aeroporto de Coari, na Amazônia |  É MAIS QUE VOAR
Foto © MInfra - Divulgação.


As obras em Coari, Amazonas incluem a construção de novo terminal de passageiros, pista de pouso e decolagem, taxiway e pátio de aeronaves. Leia em detalhes na integra.



O Ministério da Infraestrutura (MInfra) vai investir mais de R$ 60 milhões para reconstruir o Aeroporto Regional de Coari (CIZ / SWKO), no Estado do Amazonas. A balsa levando equipamentos, caminhões e insumos para a primeira etapa das obras saiu de Manaus/AM no dia 24 de junho (foto acima), com previsão de chegada em 1º de julho. É necessário percorrer mais de 400 km pelo Rio Amazonas até Coari. Já há uma equipe da Comissão de Aeroportos da Região Amazônica (COMARA), da Força Aérea Brasileira, mobilizada para executar as obras. As melhorias, com recursos do Fundo Nacional de Aviação Civil (FNAC), vão possibilitar adequar o aeroporto à operação de jatos.

"Conheço bem a Amazônia e sei da necessidade de melhorarmos a conectividade entre as cidades da região para facilitar a vida dos cidadãos e beneficiar a economia local", disse o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas. O investimento é possível pela parceria entre o MInfra e o Comando da Aeronáutica, cujas ações envolvem a elaboração de estudos e projetos, além da execução de melhorias em diversos aeroportos regionais da Amazônia. Já foram entregues obras realizadas em Oiapoque-AP (OYK) e Barcelos-AM (Moura) (BAZ), além das melhorias em andamento no Estirão do Equador-AM, Iauaretê-AM e Oriximiná-PA (TMT). O valor dos investimentos em aeroportos da região soma mais de R$ 170 milhões.

Ministério da Infraestrutura envia balsa com insumos para reconstruir Aeroporto de Coari, na Amazônia |  É MAIS QUE VOAR
Vista externa do Aeroporto de Coari, Amazonas.

O terminal de Coari (foto acima) é administrado pelo município, e chegou a operar em 2008 mais de 70 mil passageiros por ano. Com os investimentos em andamento, será possível ampliar de forma significativa a operação do aeroporto, que poderá receber jatos comerciais de médio porte, como o Embraer 190 E2 e o A319, além de turbo-hélices como o ATR42 e ATR72, comuns na região. A parceria com a prefeitura e o Governo do Amazonas, foi fundamental para a execução do projeto, de acordo com a Secretaria Nacional de Aviação Civil (SAC) do MInfra.

SOLUÇÃO DURADOURA - O projeto de Coari prevê a reconstrução da pista de pouso e decolagem com dimensões finais de 1.600 m x 45 m (considerando acostamentos de 7,5 m para cada lado), taxiway com 156 m x 16 m e pátio de aeronaves com 115 m x 77 m. Também haverá implantação de áreas de segurança nas cabeceiras da pista e regularização das faixas de pista e drenagem do sítio, inclusas obras complementares como auxílios à navegação e cerca operacional. Destaca-se desse projeto a adoção de pavimento rígido (concreto), em substituição à pavimentação flexível (asfalto), solução mais duradoura e que demanda menos manutenção numa região com dificuldades logísticas para execução constante de obras.

Será construído novo terminal de passageiros com cerca de 870 m², ao lado do atual terminal, que tem 360 m². As obras em Coari têm previsão de conclusão em 2023, considerando as etapas de infraestrutura e edificações. O cronograma leva em conta as dificuldades logísticas da região amazônica e a complexidade da obra, que exige demolição e reconstrução de toda a estrutura dos pavimentos existentes.

Comentários

Mais Lidas

Swiss retoma voos na rota São Paulo - Zurique

Embraer conclui primeira conversão do Legacy 450 em Praetor 500







2019 © É MAIS QUE VOAR
Ads